Esta semana entregámos esta Peugeot PX-50. Foi um trabalho muito interessante e laborioso, numa colaboração muito próxima com o cliente. A bicicleta está praticamente toda original, exepto os aros (ainda temos os originais Rigida Chromolux 650B de 1975) e o conjunto de luzes.

A lista do que foi montado é a que se segue:

  • Transmissão: pedaleiro Stronglight Double Plateau e pedais Lyotard, desviador traseiro Simplex Prestige 5 Vitesses, deviador frontal Simplex (NOS), cassete Atom 5v;
  • Rodas: cubos Normandy, aros Weinmann 650b;
  • Iluminação: dínamo Soubitez 6V 3W original (!), e farolins Soubitez da mesma década (não originais da bicicleta). O conjunto instalado, 100% funcional, é o “Catalux 6”. O sistema Catalux é conhecido pelas suas preocupações de segurança, que incluem um farolim traseiro a 360º para ser visivel de lado, nos cruzamentos, bem como um generoso reflector;
  • Travagem: travões Mafac Raid e manetes Mafac Guidolline não originais da bicicleta (NOS);
  • Cockpit: guiador e avanço AFA, campaínha também AFA, não original da bicicleta (NOS), fitas Fizik;
  • Selim original Per John (França) e bolsa de ferramentas Mafac também original;
  • Bomba cromada de fabrico alemão Mijnem Pieper;
  • Pintura do quadro, decalques iguais aos originais, cromagem de uma grande parte das peças, limpeza e polimento;
  • Cabos, espirais, calços de travão e outros consumíveis.

A propósito desta bicicleta, iremos muito brevemente publicar um texto com algum enquadramente histórico. Por isso não percam o próximo episódio, porque nós… também não!

Caso tenhas interesse em mais informações sobre esta menina, podes pedi-las para um destes contactos.

//

This week we finished this amazing Peugeot PX-50. It was a renovation made in a close partnership with the bike’s owner.  The bicycle was in bad condition but almost everything is still original. Some parts were replaced by NOS from the same decade.

Above you can read the parts list. It’s in Portuguese, with a little effort you can do it. For inquiries regarding this bike, please send us an email (contacts here)

__________

Vamos lá então subscrever a Gazeta do Ciclista:

Email *



Etiquetas:, , , , , , , , , , , , , ,

“Isto é a mesma coisa que falar de carros eléctricos. Quando te digo que tenho um carro eléctrico, a primeira coisa que me atiras à cara é a autonomia. Ó pá, para andares por onde andas não precisas de grande autonomia, só de eficiência. Tu não vais a Lisboa todos os dias e quando tens que ir se calhar o carro nem é a melhor opção. Com a bicicleta é a mesma coisa, acredita. Custa-te mudar o chip. Eu falo muito da maravilha que é pedalar para todo o lado, mas não me ouves. Agora se disser que até podes dobrar uma bicicleta e levá-la na mala do carro, já começas a ouvir, aos poucos isto começa a fazer sentido para ti e é assim que isto vai acabar por ir lá.”

O Manel, o papa-quilómetros casual, pedala sempre com a sua marmita no porta-cargas e nunca deixa de nos visitar quando vai a caminho de casa. Podes ler outros testemunhos no banco do MMM aqui.

//

“Well, it’s just as with electric cars. When I tell you I own one, the first thing you say is that you can’t live with such little autonomy. Dude, autonomy is not an issue, efficiency is. You don’t commute to Lisbon every day and if you do you should consider another way of doing it. With bicycles it’s the same, believe me. But it’s very difficult for you to change the chip. I talk about the joys of riding everywhere, but you won’t listen. But if I say that you can fold a bike and take it with you in the car boot, well, you start to listen and things start making a bit of sense to you. Maybe that’s a way of changing things, right?”

More from the “No Banco” series here.

Etiquetas:, , , , , , , , , ,

“Sou de Vieira do Minho e estive em lisboa uns sete anos onde me habituei a andar de pasteleira todos os dias. Depois acabei por comprar esta, porque é muito boa para viajar e temos feitos umas voltas giras. Agora quero-a um bocado mais confortável, com uma posição a direito e por isso estou a mudar o guiador. Estou a passar umas semanas no Porto e no início do mês vou viver para Londres. Esta bicicleta vai ser a minha companhia no dia-a-dia.”

Podes ler outros testemunhos no banco do MMM aqui.

//

“I was born in Vieira do Minho (Northern Portugal) and lived seven years in Lisbon, where I used to ride a vintage city bicycle. More recently we have been making great bike trips and I got this one, which is very good for touring. We are spending a couple of weeks in Porto before moving to London and I’m replacing the handlebars because there I’ll need a more upright ride for my daily commute.”

More from the “No Banco” series here.

Etiquetas:, , , , , , , , , ,

O Manel, autor em progresso, passou por cá para comprar uns pedais novos e foi o segundo a deixar o seu testemunho no banco dos duendes.

“Bem, vim trabalhar para Matosinhos para fazer a Comunicação de uma grande empresa de transportes. Um dia pensei que fazia mais sentido vir para cá a pedalar pela marginal do que me meter de carro no trânsito. Estive a viver em Bruxelas onde não tinha carro e quando trabalhava na Baixa andava a pé. Agora ando nesta beleza. É uma Peugeot e montei-lhe um grupo Campagnolo, porque adoro a Peugeot e adoro a Campagnolo. Eu sei, eu sei, Peugeot e Campagnolo, mas que queres, olha, é a minha Peugeot Campagnolo.”

//

Manuel, author and copywriter in the making, was the second to leave some words seated on our bench. 

“Well, you know, I recently started a new job at a big transports company here in Matosinhos. I think it makes much more sense to pedal by the Douro than face Porto’s heavy traffic in a car. I spent some time working in Brussels and the city taught me how to not be car dependent. Before I was working in Central Porto and used to walk to the office. This bike is a Peugeot and I replaced the original group-set, a mix of french parts, with this Campagnolo. I know man, Campagnolo and Peugeot, but I love both brands. It’s my Campagnolo Peugeot.”

Etiquetas:, , , , , , , , ,

peugeot (1 of 6)

Ora aqui está mais uma menina saída das mãos mágicas dos nossos duendes, uma daquelas que nos vai custar deixar sair.

Trata-se de mais uma Peugeot, que já foi uma das nossas usadas espectaculares. Esta nova versão foi idealizada à distância pelo cliente para ser uma bicicleta um pouco diferente, mas muito fiel ao espírito “rando” original.

A listinha de supermercado foi a seguinte:

  • Pintura verde Leaf Green
  • Travões Dia Compe #610 CenterPull brake
  • Manetes de travões Dia Compe invertidas
  • Guiador BLB
  • Guarda-lamas martelado Velo Orange
  • Pedaleiro Sunrace R80 – 60,00€
  • Avanço Velo Orange Grand Cru Quill 26.0 Stem
  • Fitas Newbaums
  • Porta-cargas Velo Orange Constructeur 
  • Cabos e espirais metalizados Velo Orange
  • Selim Brooks B17 Standard

//

We have just finished this green beauty, formerly one of our “used and spectacular bikes”. The client thought in something a bit different but still in the 50’s and 60’s rando spirit.

Etiquetas:, , , , , , , ,

peugeot (1 of 1)-3

Chegou ao MMM esta francesinha, uma pequena Peugeot de 42cm, com roda 22 x 1 3/8”.

Tem três mudanças (manípulo no avanço) , guarda-lamas, porta-cargas e um kit de iluminação. Tem uma particularidade interessante, que é um aperto rápido no avanço, que permite baixar e rodar o guiador com facilidade.

Podem ver outras usadas espectaculares que temos disponíveis nesta página.

O pato? 165€

//

This vintage Peugeot is available at our Matosinhos store. With 42cm and compact 22 x 1 3/8 wheels, 3 speeds, fenders, rear carrier and dynamo lights, is a beautiful small bicycle.

More about our vintage and used stock here.

The price? 165 euros.

Etiquetas:, , , , , , , ,

Página seguinte »